Olá! 
Aqui vamos dar-lhes uma noção sobre as mamoplastias de levantamento, evolução e manutenção dos resultados os quais são muito particulares de cada indivíduo. Vamos lá!

O QUE É MAMOPLASTIA DE LEVANTAMENTO OU MASTOPEXIA?

A mamoplastia de levantamento das mamas, ou mastopexia, consiste no uso de técnicas de cirurgia plástica utilizadas para a elevação do posicionamento das mamas.

QUANDO DIZEMOS, TECNICAMENTE QUE UMA MAMA ESTÁ “CAÍDA”?

Existem algumas classificações técnicas para sua definição e a mais utilizada traz como critério principal o posicionamento das aréolas em relação ao sulco mamário (a dobra que a mama faz com o tórax), sendo que a aréola pode estar acima do sulco, coincidindo com o sulco e abaixo do sulco. Outra maneira mais prática é a projeção da aréola em relação ao braço, a qual deve estar projetada na sua metade ou acima para ter uma posição adequada e considerada sem ptose ou queda.

Uma alteração muito comum é a Pseudoptose, na qual a mama possui bom posicionamento da aréola porém grande parte do tecido mamário interno encontra-se na posição inferior da mama com apagamento da porção superior o que gera uma aparência “caída” embora tecnicamente não esteja. Para essa alteração técnicas com o uso de implante mamário são frequentemente necessárias para melhor preenchimento dessa porção superior (polo medial superior).

TÉCNICAS DE MAMOPLASTIA DE LEVANTAMENTO DAS MAMAS OU MASTOPEXIA

Existem inúmeras técnicas de mamoplastia de levantamento! E entendo, como Cirurgiã Plástica, que procura personalizar o tratamento para cada paciente, a necessidade de ter em meu arsenal técnico esse vasto conhecimento das variantes e suas indicações:

1 – Quanto ao uso de implantes, próteses, de silicone mamário:

As Mamoplastias de Levantamento podem ser com ou sem o uso dos implantes, dependendo da indicação técnica e da vontade da paciente em ter o implante. O implante certamente traz à mama de menor volume a aparência mais arredondada permanentemente, pois é um artifício com um formato e volume que não se alteram no tempo, ao contrario do tecido humano vivo da mama o qual sofre alterações da gravidade, dos hormônios, das gestações, da genética da pele, das alterações de peso e do envelhecimento. “A prótese de silicone não tem sua existência alterada com o tempo”, no entanto, a forma global da mama será alterada pelos motivos humanos acima mencionados.

1.1 – Quanto ao posicionamento da prótese(implante de silicone mamário):

A prótese em uma mastopexia pode se posicionar abaixo do tecido mamário puro e simples; e para técnicas mais refinadas, abaixo da fáscia muscular peitoral, a qual possui maior poder de sustentação por sua firmeza sem a desvantagem do movimento que o músculo pode causar.

A prótese também pode ser locada abaixo do músculo em técnicas totalmente subpeitorais, parcialmente subpeitorais ou dual-plane. Todas essas variantes estão considerando a prótese somente parcial ou totalmente cobertas pelo Músculo Peitoral Maior. Há também outra variante muscular que se utiliza de um retalho (porção) de Músculo

Peitoral Maior mas localizado Ínfero lateralmente o qual produz um efeito de “sutiã” com sustento exatamente na posição que o sutiã o realiza.

Todas as técnicas de mamoplastias submusculares dever ser bem conversadas uma vez que podem, não infrequentemente, produzir assimetrias de posição da prótese pelo simples movimento do músculo!! Isso em períodos diversos do pós operatórios podendo ser precoces ou mais tardiamente!!

2 – Quanto às cicatrizes:

Existem mamoplastias com cicatrizes periareolares e associações de cicatrizes periareolares com verticais, horizontais (o T invertido) e em L.

Para cada técnica existe uma mama e não uma mesma técnica para todas as mamas. O posicionamento das cicatrizes é muito dependente da quantidade necessária de pele a ser retirada para cada mama, para cada paciente. Há situações em que mais de uma opção pode ser utilizada, nesses casos discutimos com o paciente o que ele preferirá ter como cicatriz. E há casos em que não há escolha, a mama do paciente “pede” uma cicatriz mais extensa.

3 – Quanto ao tecido mamário:

Existem técnicas muito simplificadas em que parte do tecido mamário é retirada e o fechamento e “sustento” se dá aos custos do ajuste de pele.

E existem técnicas mais rebuscadas em que há criação de um retalho(porção de tecido mamário mantido vivo às custas de vasos sanguíneos) para um “reposicionamento” do conteúdo da mama mais acima para a “criação”de um novo polo superior (porção superior) da mama. Esse pedículo pode ser mais ou menos fixo na parede torácica com o auxilio de outros tecidos como feixes do músculo peitoral parcial ou total; faixa da fáscia do músculo peitoral; pontos entre a derme do tal retalho e a musculatura/fáscia peitoral; enfim são todas técnicas rebuscadas q exigem o conhecimento da existência e da execução da técnica.

Como as Mamoplastias tem inúmeros detalhes, não? E vocês mesmos puderam observar que uma simples Mamoplastia de Levantamento ou Mastopexia aborda inúmeros elementos para trazer um resultado individualizado. Por esse motivo não se pode comparar valores quando se faz simples “orçamentos” para uma mamoplastia. O conhecimento tem um valor agregado imenso para o qual você deve estar bem atento(a)! E é esse “valor agregado” que proporcionamos ao paciente que nos elege para ser sua Cirurgiã Plástica.

Abraço a todos e até breve!
Dra. Viviane Teixeira

DRA. VIVIANE TEIXEIRA

Formada pela UFPR, USP e HUEC

Membro Especialista da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica)

Cirurgiã Plástica em Curitiba há 10 anos.

Olá! Aqui iremos conversar mais sobre Cirurgia Plástica no intuito de esclarecer dúvidas frequentes colhidas nesses 10 anos de atuação. Vocês são nossos convidados a ler e a conversar conosco caso seu desejo seja o de aperfeiçoar as formas corporais e da face. Conheça mais em TRATAMENTOS.  Sejam muito bem vindos!!”

Cuide-se. Você merece.

Agende agora a sua consulta.

AGENDE AGORA